O comportamento dual e as relações de ambivalência nas obras de João Ubaldo Ribeiro e Bernhard Schlink

Autor

Hugo Tadeu dos Santos

Orientador

Prof. Dr. Anco Márcio Tenório Vieira

Ano da defesa

2014

Resumo

É comum que em determinadas obras dramáticas as expectativas não realizadas frustrem as perspectivas do leitor, na medida em que as ações de suas personagens, especialmente as ações decorrentes de seu caráter fragmentário, permeiam-se por mostras de constatada falta de heroísmo, culminando com a decepção e o desespero humano. Quando as configurações de um estilo anti-heroico, particularmente hostil e decadente, são acompanhadas de perto pelo esvaziamento do perfil do herói tradicional, observa-se o surgimento de uma ambiguidade que impulsiona essas mesmas personagens a uma revolução da visão desse herói tradicional, gerando, a partir daí, uma dimensão igualmente heroica.
As obras Sargento Getúlio e O Fim de Semana, do brasileiro João Ubaldo Ribeiro e do alemão Bernhard Schlink, respectivamente, possibilitam-nos a análise dos diversos aspectos das personalidades de suas principais personagens e suas variações morais e psicológicas, sendo por isso um extrato da vida real que acaba por levar o leitor a ser instigado a um aprofundamento dessas sensações. Duas obras caracterizadas por personagens inseridas no seu tempo e que refletem a angústia dos que vivem um mundo real, desprovido de heróis tradicionais, equilíbrio social e indivíduos coerentes. Duas obras que dão voz a João Ubaldo e Schlink, enriquecendo suas posturas literárias e desafiando o leitor a considerar em sua mente o “processamento do moralmente correto” e o seu grau de concordância com esse processo.

Baixar arquivoClique para baixar