Provérbios e expressões idiomáticas como recursos de argumentação da língua na mídia

Autor

Rinalda Fernanda de Arruda

Orientador

Prof. Dr. Antônio Carlos dos Santos Xavier

Ano da defesa

2012

Resumo

Este trabalho tem como ponto de partida o provérbio e as expressões idiomáticas como nosso interesse investigativo. Nosso objetivo é focalizar os provérbios e expressões idiomáticas que acontecem enunciativamente nas revistas VEJA e ISTO É, em textos que tematizam a política brasileira, no intuito de flagrar como tais dizeres podem atuar na construção ou desconstrução da imagem dos referentes em foco: Fernando Henrique e Lula. Pretendemos observar também se os provérbios e expressões idiomáticas têm se revelado recursos argumentativos estratégicos no discurso da mídia relativo a determinados sujeitos do mundo político. Nossas análises nos permitiram identificar que a utilização de provérbios e expressões idiomáticas com fins argumentativos delineados pelos seus enunciadores pode influenciar as crenças, valores e ações do público. Diversos recortes jornalísticos comprovaram que os provérbios e expressões idiomáticas, tidos como clichês e situados na marginalidade da língua erudita, atuam como (des)construtores de imagens dos referentes FHC e Lula, ou aos demais políticos que gravitam o entorno partidário destes referentes. Verificamos como foram deslizados sentidos pelos enunciadores filiados à mídia, com base na estrutura cristalizada do provérbio e expressões idiomáticas, com fins pretendidos pelos seus enunciadores. Em suma, pretendemos mostrar o papel que o provérbio e expressões idiomáticas assumem na argumentação dos assuntos políticos.

Baixar arquivoClique para baixar